Grávida?

Você entende a profundidade e abrangência de sua responsabilidade?

 

A gravidez é, sem dúvidas, uma das experiências mais belas, complexas e desafiadoras de ser Humano. Mas seria ingenuidade nossa acreditar que todas as mulheres que passam por esta experiência se sentem felizes e realizadas. Onde fica então o sentido da frase “mãe é mãe”? Bom eu digo que nem toda mãe é mãe, porque nem toda mulher está pronta para ser mãe.

Para ser mãe é necessário abdicar de muitas coisas e reconhecer a maternidade como um laço para uma vida inteira. Nem todo mundo está pronto para ter este tipo de compromisso. Muitas pessoas guardam marcas profundas de sua infância e principalmente de seu nascimento. Estas experiências às vezes criam reflexos condicionados em nosso subconsciente que nos impedem de agir como gostaríamos, de amar sem medo, de conquistar nossos sonhos e às vezes simplesmente nos impedem de reconhecer o que exatamente seriam estes sonhos.

A maneira como somos recebidos neste mundo, primeiramente na barriga da mãe e depois pela família em si, pode determinar a força com que vamos enfrentar o mundo, nossa capacidade de amar e ser feliz. É por isso que é extremamente importante a mulher estar pronta pra ser mãe. Toda a insegurança, medo, raiva que sente durante a gravidez vai originar registros emocionais no filho e é a partir destes registros que ele vai se relacionar com o Mundo. Não é sem motivos que na capa do meu site, www.portoterapia.com, eu coloquei a frase “Não existe cura para o Mundo que não passe pela nossa cura interna”(de minha autoria)!

Atualmente reagimos ao outro a partir de nosso ego desequilibrado por esses registros, e assim acreditamos firmemente que precisamos ser melhores que o outro para sobreviver, que dependemos do outro para sobreviver, para sermos amados, aceitos, para preenchermos nosso vazio existencial, etc. Se curarmos este vazio, seremos capazes de sentir amor por nós mesmo e então, pelo próximo.

Para isto a mulher precisa curar-se. Está em suas mãos uma grande responsabilidade! Afinal mais de 50% da educação e saúde emocional da criança depende da mãe. Isto equivale a dizer que está em suas mãos a criação de uma nova sociedade no futuro, mais saudável, mais pacífica, mais feliz. Mas isto não é possível se a mãe não se cura! Pois quando ela engravida começa a entrar em contato com seus próprios registros de nascimento:

  • O cordão umbilical que é cortado muito cedo e dá a sensação de morte para a criança!

  •  A frieza como a maioria dos médicos recebe a criança!

  • A demora em ir para os braços da mãe!

São experiências que podem vir à tona durante toda a gravidez de forma inconsciente criando na mãe um enorme medo do futuro, da segurança do filho e até mesmo  dúvidas da sua capacidade de criá-lo. Desta forma o filho pode entender que sua vida corre perigo e tornar-se extremamente reativo e agressivo, ou ao contrário nascer com um intenso medo da vida!

Mas nenhuma destas informações é dada às futuras mães, a maioria acredita que cuidando da alimentação, parando de beber ou fumar, está fazendo o seu máximo! Mas embora, a mãe, não seja culpada por ter traumas de infância, ela agora é responsável por uma vida, e mais do que isto, uma vida que representa a construção da sociedade do futuro! Assim, é urgente curar-se! Resolver os bloqueios que ficaram da infância, as crenças limitadoras, a baixa autoestima, a insegurança em ser mãe e mulher! É importante buscar por um conhecimento mais holístico que traga à mulher condições de criar, educar e acima de tudo, amar seu filho! E não teorias ultrapassadas. O limite é dado ao filho através do próprio autorespeito e autoamor da mãe, e não da punição constante. Se a mãe é segura, o filho é tranquilo!

Meu conselho é: Não espere estar grávida para lidar com seus traumas! Mas se você já está grávida então faça uma terapia para criar um laço saudável com seu filho. Um resgate à sua Consciência Cósmica, Conexão com seu Eu Sou (parte mais elevada do seu espírito), leitura de Registros akhásicos, Reiki, entre outras, pode auxiliar e muito neste processo!

A reprogramação Mental é ainda uma das mais indicadas terapias nestes casos, pois ajuda a mudar as crenças e aumentar a segurança e o autoconhecimento da mãe __ mas sem a regressão de memórias, que é um processo muito forte e pode expor a criança a conteúdos que não lhe dizem respeito!

Seja qual for sua decisão, primeiramente pense na saúde física, mental e emocional de seu filho! É uma questão ecosocial que pode e vai impactar todo o nosso futuro!

A mãe não é culpada pelo que transmite ao seu filho, mas é responsável pelo conteúdo!

Este é um assunto polêmico com certeza, e ao qual não vou conseguir dar conta em um único texto, assim quem tiver dúvidas ou críticas poderá enviá-las para o e-mail cursoseterapias@gmail.com que tentarei responder sempre que possível, e quem saber a partir daí gerar um novo texto com todas as respostas.

 

 

 

Eu SOU,

Cada vez mais,

Karenn Liège

Grupo de Terapia para Mulheres, grávidas ou mães.

 

 

Alguns acontecimentos da vida, principalmente os ocorridos na infância, nos levam a acreditar que nascemos para sofrer e que jamais conseguiremos realizar nossos sonhos. Em função destas frustrações podemos desenvolver depressão, ansiedade, disfunções orgânicas, hormonais e/ou sexuais, entre outros distúrbios físicos, mentais ou emocionais.

 

A terapia de Reprogramação Mental Cinestésica é um conjunto de técnicas que passam por teorias da Programação Neurolínguistica, Psicologia e Terapia Corporal e que tem como objetivo mudar os padrões de pensamentos para que o indivíduo possa atingir a sua excelência mental, emocional e intelectual.

 

 

Apesar do trabalho ser feito em grupo, não haverá exposição dos problemas pessoais ao grupo. Os objetivos a serem trabalhados serão combinados por e-mail anteciadamente.

 

Inscrições: cursoseterapias@gmail.com

Todas as quartas feiras das 19h30min às 21h. 

Com início dia 03 de Dezembro de 2014.

Inscrição: 240 reais *

Escola Ponto de Luz

Rua Felicíssimo de Azevedo, 1243 - Higienópolis

Porto Alegre

 

 

*O valor de 240 reais é equivalente a 4 sessões, ou seja 60 reais por sessão.

O valor normal de uma consulta de Reprogramação Mental varia de 130 a 250 por sessão. 

O mínimo sugerido para que o tratamento surta efeito é dde 4 sessões.

Após este tempo é possível continuar até conseguir alcançar todas as transformações que se deseja!

Porto Terapia Uma nova Concepção de Vida

cursoseterapias@gmail.com - 51 998 11 3042