Leitura de Registros Akáshicos

 

           Algumas pessoas acreditam que é necessário possuir algum dom especial para poder acessar os registros akáshicos de uma pessoa, ou de um evento, mas isto não é verdade, qualquer pessoa pode fazê-lo desde que se esforce o suficiente para isto. Existem alguns exercícios e dietas aconselhadas para facilitar o processo, mas mesmo este tipo de ritual não é o essencial para que se adquira este processo. O mais importante de tudo é a busca sincera de sua própria espiritualidade e uma tentativa humilde de conexão com seus mentores e guias pessoais.

         Quando nos entregamos de coração aberto nesta busca evolutiva, cedo ou tarde nosso caminho pessoal se apresenta de uma forma muito clara. Quando recebi a incumbência de passar a diante os conhecimentos da Cura Quântica ANJO HUMANO, me sentei vários dias para meditar e acessar as informações que deveriam estar presentes na apostila do curso. Sempre peço que meus mentores me mandem mensagens por escrito, ou seja, me levem a encontrar as respostas em livros, e isto tem sido extremamente efetivo. Em uma destas vezes em que a dúvida sobre minha capacidade se abateu sobre mim, eu perguntei a Saint Germain se eu estava pronta para passar este conhecimento e, minutos depois abri um livro aleatoriamente e lá estava: “Não espere sentir-se pronto, pois talvez este sentir-se nunca aconteça (...)”. Compreendi de imediato que nunca iremos nos sentir totalmente prontos enquanto não confiarmos totalmente neste direcionamento que somente a espiritualidade pode nos dar. Eu não me sentia pronta por faltar ainda várias informações sobre como o curso aconteceria e quais as explicações mais racionais para tantos procedimentos que em alguns momentos me fugiam da lógica. Pronta ou não, me sentei e escrevi todo o material para o curso.

        Algumas pessoas perguntam se eu sou médium, e eu não me considero médium, nem alguém com algum tipo de paranormalidade ou poderes extra-sensoriais. Tenho alguns problemas com essa mania que algumas pessoas tem de classificar e nomear tudo.  Acho que na espiritualidade muitos processos e fenômenos são bastante difíceis de nomear e classificar.  Acredito que, técnica, qualquer pessoa com um mínimo de intelecto pode criar, dar um nome e até registrar se for preciso, mas compreender as leis cósmicas por trás deste processo exige discernimento, e este é mais difícil de adquirir, pois depende da verdadeira humildade, a qual a maioria de nós não temos (incluindo-me entre os demais).

          A vida inteira recebemos ou acessamos por conta própria informações que fazem parte desta rede chamada de grande biblioteca de registros akáshicos ou Akasha. A diferença entre receber ou acessar podem ser de dois tipos. A primeira é a escolha, viemos a esta vida com uma escolha de acessarmos estes conhecimentos por conta própria, ou a de sermos canais deste conhecimento que eventualmente virá através de seres que não se encontram em nossa realidade. A segunda tem a ver com a capacidade de conexão com nosso próprio EU SOU, ou seja, a parte mais consciente dos nossos corpos sutis, ou ainda, do nosso espírito individual. Muitas vezes uma pessoa não pode acessar estas informações por ter seu canal de acesso ao EU SOU bloqueado, e então, seus mentores fazem este trabalho de informação. Mas algumas vezes a pessoa tem este canal aberto e ainda assim escolhe ser apenas um canal para outros seres. Um caminho não é melhor nem mais importante do que o outro, são apenas escolhas realizadas antes de virmos a este plano.

            Energeticamente somos formados por sete camadas sutis, estando cada uma ancorada em uma diferente esfera de conhecimento. Cada uma destas camadas possui frequência uma oitava acima da anterior, sendo assim, a frequência da sétima camada é tão distante do físico que seria praticamente impossível nos comunicarmos com ela, tal a complexidade da informação por ela transmitida. Sendo assim é necessário que exista um mecanismo de modulação desta frequência, e é aí que inicia o papel dos chacras.

             O chacra ao contrário do que algumas pessoas pensam não é um cone, e sim uma esfera de luz, o cone é apenas a abertura que permite ao chacra se comunicar com o corpo sutil ao qual ele corresponde. Quando a informação do corpo sutil entra na espiral do cone inicia seu processo de modulação que vai ser visível através das cores em movimento dentro da espiral. É nesta espiral que ocorre o decaimento da informação para a frequência do corpo físico e que, consequentemente, muitas informações se perdem ou se transformam.

             Assim a importância de abrir o Antahkarana e expandir o Cardíaco está na quantidade e qualidade da informação recebida através do sétimo chacra. A informação recebida através do EU SOU pode ser toda classificada como REGISTRO AKÁSHICO, entretanto o que buscamos em uma leitura são as informações individuais, necessárias no momento presente, para que aquele Ser possa se libertar de suas crenças e contratos, e ascender espiritualmente. Uma leitura deve sempre respeitar as escolhas de alma, embora muitas vezes, quando a alma se torna consciente de suas escolhas pode modificá-las por entender que aquele propósito já foi cumprido ou já é desnescessário no tempo atual.

          Todo o caminho é feito de aprendizado, e não existem maneiras de pular etapas, se você realizou uma Leitura de seus Registros e conseguiu quebrar alguns contratos, pode ter certeza que isto também faz parte das experiências escolhidas por você antes de vir a este plano, algo como um plano alternativo caso você não conseguisse aprender determinada lição ou lembrar de suas escolhas a tempo de se modificar.

              E independente disto, não se julgue!

              Ame-se, por que amar é o único caminho de crescimento real!

 

Eu SOU 

Karenn Liège