Não te amo pelo que tu és,

eu te amo pelo que eu sou ...

por Karenn Liège - cursoseterapias@gmail.com

 

Acordei um dia destes, às 4h, com esta frase na cabeça: "Não te amo pelo que tu és, te amo pelo que eu sou". Peguei meu celular e enviei uma mensagem para meu próprio número a fim de não esquecer. O caso é que cada vez que leio faz mais sentido para mim: Amamos por possuir a capacidade de amar, e não porque o outro possui a capacidade de poder ser amado...


Continuo explorando o tema "Amor incondicional" até que eu possa (e que possamos) entender, sentir e acima de tudo ser plenamente este sentimento. Como eu já havia dito antes essa é minha principal busca nesta vida, pois acredito que não exista um Caminho real sem amor incondicional. Sem ele apenas vagamos cegos e surdos... 

Amar incondicionalmente é estar conectado ao EU SOU, porção de nosso Ser que ainda é conectado à Fonte. A essa sensação de conexão, de que somos parte integrante e ativa do todo, é que sentimos como "Amar e ser amado". Veja bem, amar não é algo que eu possa fazer apenas decidindo que quero amar, é necessário tomar atitude, e essa atitude significa reconectar-se ao seu EU SOU. 


Como terapeuta, o que eu percebo após a reconexão com o EU SOU, é uma grande evolução no trabalho, em termos de quantidade de energia e níveis de conexões alcançados. Existem algumas pessoas que já nasceram com este canal mais aberto, já nasceram conectados com seu EU SOU, e mesmo quando não tem consciência plena disto, acessam informações que passam completamente despercebidas do senso comum. Esta conexão está disponível a qualquer pessoa que tenha escolhido a espiritualidade como caminho. 

Alguns alunos me questionaram o que fazer com a falta de confiança no que fazem, com o medo de "errar" no tratamento do cliente de terapia. Como saber que estamos no caminho certo? Que este é realmente o tratamento que nosso cliente precisa? Além de estudar muito, é claro, também devemos confiar em nossa intuição. Aquela vozinha interna que nos diz que ao invés de Holy, como explica o manual devemos utilizar o Mimullus (florais de Bach). E de onde vem esta intuição? Novamente: da conexão com meu EU SOU. 

Algumas pessoas se perguntam o tempo todo porque determinados terapeutas, ou até pessoas comuns têm um acesso tão fácil às informações na forma de intuições, premonições, sonhos, entre outros, e a resposta é sempre a mesma... Mas, então, qual o segredo desta conexão com o EU SOU?

 

Claro que existem exercícios e meditações que aceleram, e muito, o processo, como, por exemplo, os que fazemos na VIVÊNCIA DE RECONEXÃO DO EU SOU, mas o passo principal é curar o ego e entregar-se de fato à espiritualidade. Vivê-la na sua totalidade. Você não pode servir a dois senhores! Enquanto o ego estiver no comando, enquanto você tiver vergonha de assumir para seus amigos, enquanto você tiver medo de amar sem ser correspondido, você não alcançará este poder! 

 

Quando esta reconexão ocorre, compreendemos finalmente quem somos, nossa natureza de Luz . Começamos a enxergar nossa perfeição, infinitude e indestrutibilidade, e então, como não amar-se? Como não respeitar-se? Assim, quando nos reconhecemos, passamos a enxergar o outro como um igual. Como não transbordar de amorosidade para a perfeição que o outro é? 

 

O Deus que habita em mim, reconhece o Deus que Habita em você : NAMASTÊ!


Também o Reiki é uma energia de amor incondicional e, portanto, energia de criação do Universo, o estopim que deu a intenção necessária para tudo existir. Nós acessamos apenas uma pequena fração do que é a energia de Reiki e ela é capaz de fazer tanto em nossas vidas, aliviar dores, acelerar o processo de compreensão de nossos carmas e consequentemente curar algumas de nossas doenças. 


Não estou aqui tentando dizer que Deus nos criou para nos amar... Deus é esta energia e nós fomos gerados por Ela. Nós é que demos este nome a Ela em função da sensação de plenitude que sentimos quando RECONECTAMOS nem que seja um pouquinho com a fonte... Acreditávamos que o amor era um sentimento intrínseco ao Ser Humano, e depois passamos a acreditar que era um sentimento intrínseco ao corpo físico (paixão) e então nos perdemos! Com o tempo começamos a acreditar que estávamos sós, e passamos a nos sentir carentes, vazios, tristes e sem energia! Passamos a depender da pouca energia dispensada pelos nossos próximos. Adoecemos, espiritual e fisicamente. Colocamos o ego em primeiro lugar e esquecemos nossa essência!


Agora devemos fazer o caminho inverso: Filtrar o ego com o coração, curar nosso físico e nosso espírito encontrando o caminho de volta à casa do Pai... reconectando com nossa essência EU SOU. 


Por isto, eu não te amo pelo que tu és, eu te amo pelo que EU SOU ...


Eu SOU,
Cada vez mais
Karenn Liège 

Porto Terapia Uma nova Concepção de Vida

cursoseterapias@gmail.com - 51 998 11 3042